arrow_back

Diferenças entre um CMMS e um EAM

Dada a importância dos equipamentos e máquinas nas operações produtivas e no sucesso das empresas, é imprescindível a implementação de softwares que ajudem a simplificar e otimizar a gestão e manutenção de ativos. O mercado para isso é muito amplo (previsão de chegar a US $ 5,2 bilhões em 2024) e oferece duas soluções frequentemente confusas: CMMS e EAM.

A confusão se deve ao fato de que ambas as soluções são orientadas para a manutenção e oferecem desempenho semelhante. No entanto, consideramos conveniente fazer os esclarecimentos pertinentes para que os usuários possam fazer uma escolha informada.

O que é o CMMS na manutenção? 

Sigla para Computerized Maintenance Management System, é um software especializado que centraliza as informações de manutenção e simplifica os processos associados a este trabalho.

O núcleo de um sistema informatizado de manutenção é a sua base de dados que organiza sistematicamente todas as informações sobre os ativos da empresa e as operações de manutenção, incluindo funcionalidades muito importantes, entre as quais vale a pena destacar:

  • Gerenciamento de ordens de serviço.
  • Gestão de inventário.
  • Catálogo de ativos.
  • Rotinas de manutenção.
  • Indicadores de desempenho.
  • Monitoramento e controle de IoT.

Na prática, um CMMS ajuda a otimizar a utilização e disponibilidade de equipamentos físicos como máquinas, maquinários, infraestruturas de fábrica e ativos em geral.

O que é um EAM na manutenção? 

Sigla para Enterprise Asset Management, o conjunto de atividades e sistemas voltados para a gestão de ativos e equipes operacionais ao longo de seu ciclo de vida, contemplando manutenção, planejamento e programação, gestão da obra e ainda ações da cadeia de suprimentos e meio ambiente, saúde e segurança.

Um sistema EAM é uma plataforma unificada para gerenciar os ativos físicos de uma empresa desde a sua aquisição até a sua desmontagem. Nesse sentido, ele oferece recursos de gerenciamento de manutenção, mas leva em consideração elementos importantes como o custo total de propriedade (TCO) de cada um dos equipamentos e fornece uma variedade interessante de funções adicionais para rastrear, gerenciar, analisar seu desempenho e custos, como:

  • Gerenciamento de Estoque de Operações de Manutenção e Reparo (MRO).
  • Gestão de compras, documentos e projetos.
  • Operações.
  • Histórias de reparos.
  • Custos do ciclo de vida.
  • Registros de garantias e auditorias.
  • Gerenciamento de confiabilidade.
  • Segurança e conformidade.
  • Inteligência de negócios (BI) para apoiar o planejamento estratégico de nível de negócios.

Ao centralizar todas estas funcionalidades é possível ter informação atualizada em tempo real, o software pode ser utilizado por qualquer departamento para o desenvolvimento das suas tarefas, melhorando o desempenho da organização ao nível macro.

Em que se diferenciam um CMMS e um EAM

Em um sistema EAM, a manutenção é apenas uma de suas principais funcionalidades. Serve para otimizar o desempenho dos ativos físicos da empresa e tem um foco muito mais amplo. Além disso, incorpora uma grande variedade de funcionalidades.

As duas soluções são válidas e eficientes. A escolha entre um e outro depende estritamente da quantidade de ativos da empresa e das necessidades específicas que ela possui.

Porém, existem ferramentas no mercado que combinam poderosos recursos de manutenção e gerenciamento de ativos, como o Fracttal One, uma plataforma inovadora que aproveita as possibilidades oferecidas pela Inteligência Artificial (IA) e pela Internet das Coisas (IoT).

Desta forma, você pode não apenas organizar e executar com eficácia as tarefas de manutenção de seus ativos, obtendo informações em tempo real dos sensores IoT, mas também obter um gerenciamento abrangente de todo o ciclo de vida dos equipamentos e maquinários necessários para as operações diárias.