arrow_back

O ciclo de vida de um ativo

O que é o ciclo de vida de um ativo?

Os ativos são bens que possuem valor agregado ou agregam valor para sua empresa. Pensando nisso, precisamos compreender que todo ativo tem o seu clico de vida. Esse ciclo de vida começa desde quando é feita a aquisição do ativo e encerra no momento que ele é desativado e retirado de operação.

Basicamente, o ciclo de vida é dividido em 4 etapas:

1. Aquisição
2. Implantação
3. Operação
4. Desativação

Gestão do Ativo para potencializar o Ciclo de Vida

A gestão do ativo tem como objetivo aumentar ao máximo o ciclo de vida do mesmo, mantendo seu desempenho a níveis aceitáveis, diminuindo os riscos de falhas e danos ao meio ambiente, pessoas e produção. O objetivo também é reduzir os custos de sua operação. Levando em consideração as 4 etapas do ciclo de vida. Vamos abordar alguns pontos importantes que influenciarão diretamente em seus resultados:

Etapa 1 - Aquisição

Nessa primeira etapa, é muito importante que seja levado em consideração o catálogo de peças de reposição que esse ativo possui, nem sempre o ativo mais barato é realmente o mais barato. Seu ativo precisará passar por manutenções, e com certeza será necessário realizar a troca de peças. Então, se o fabricante e modelo escolhido não possuírem um bom catálogo de peças de reposição, logo você terá muitos problemas para manter seu ativo em operação e potencializar o ciclo de vida dele.

Etapa 2 - Implantação

O local que o ativo será “instalado” influenciará em seu ciclo de vida e em todo o seu planejamento da manutenção. É um ambiente de alta/baixa temperatura? O ambiente proporciona níveis maiores de degradação (Oxidação, ferrugem e etc.) da estrutura do ativo? Levem esses pontos em consideração.

Possuir documentações técnicas é essencial para a equipe de Implantação, manutenção e operação. Seja manuais de instalação, de operação ou planos de manutenção, levando em consideração o manual do fabricante e a expertise de sua equipe técnica.

Etapa 3 - Operação

Possuir uma equipe de manutenção preparada para gerir esse ativo: durante a operação do ativo, a necessidade de manutenção preventiva, corretiva ou preditiva é inevitável, ter equipe preparada para execução é fundamental. Muitas vezes o “parque de máquinas” recebe investimento e novas tecnologias, mas a equipe de operação e manutenção não. Isso influenciará muito no ciclo de vida do ativo, infelizmente, é um erro muito comum que vemos hoje nas empresas.

Etapa 4 - Desativação

Será que o custo de manutenção e operação do ativo não está muito elevado? Muitas vezes o custo para manter o ativo em operação se torna mais custoso do que a aquisição de um novo ativo, isso precisa ser levado em consideração, talvez já tenha chegado o momento de desativar esse ativo e substitui-lo. Um bom relatório de custos e falhas pode lhe ajudar a identificar essa necessidade, outro indicador que pode ajudar é o de depreciação linear.

Uma gestão adequada vai potencializar o ciclo de vida do seu ativo!


Carlos Magno Vignoli

Consultor Técnico na Fracttal Brasil


CTA BLOG-01