arrow_back

Manutenção corretiva: como se antecipar as falhas?

A manutenção corretiva se refere a qualquer operação ou ordem de serviço (OS) realizada para restaurar o funcionamento ideal de máquinas, instalações ou qualquer ativo que esteja falhando. Por exemplo, a substituição de rolamentos ou peças danificadas no motor de alguns equipamentos.

Para executá-la corretamente, além de saber o que é manutenção corretiva, devemos ter clareza sobre quando ela é aplicada, pois não se trata simplesmente de reagir a uma falha inesperada.

Quando é se realizada a manutenção corretiva?  

Em um nível técnico, a necessidade de ações corretivas pode ser detectada de diferentes maneiras. Por exemplo, um técnico de manutenção de sistemas pode notar uma peça degradada ao realizar uma inspeção de rotina, ou um operador de máquina pode perceber que ela não está funcionando como esperado e alertar o gerente da área.

Com base nisso, é possível estabelecer uma classificação deste tipo de manutenção com base no momento em que tomamos as medidas corretivas versus o momento em que detectamos a falha ou problema:

  1. Manutenção corretiva imediata: operações que ocorrem imediatamente após a quebra.

  2. Manutenção corretiva diferida: ações que são postergadas (programadas) por diferentes motivos: não há técnicos disponíveis, peças sobressalentes não estão disponíveis, o dano exige um especialista, corrigir a falha não é urgente, realizar as operações é muito caro.

Também podemos classificá-lo de acordo com o plano de manutenção industrial da empresa:

  1. Manutenção corretiva programada: decidimos deliberadamente tomar uma ação corretiva quando uma máquina falha, deixando-a funcionar até o momento da falha. Isso porque, após uma profunda análise de custo-benefício, não vale a pena investir muito tempo e recursos em manutenções preventivas (inspeções e reajustes periódicos) ou preditivas (dependendo do real estado técnico do equipamento, conhecido por parâmetros de medição).

  2. Manutenção corretiva não programada: é uma estratégia mais reativa. Acontece que quando ocorrem avarias inesperadas, a reparação dos equipamentos é imprescindível para não comprometer a continuidade das operações.

Especificamente, aplicamos a manutenção corretiva quando ocorrem falhas ou quebras, imediatamente ou posteriormente, levando em consideração a urgência do reparo e a disponibilidade de tempo e recursos.

Por que a manutenção preventiva é melhor?

Ter clareza sobre o que é manutenção corretiva e quando é realizada é essencial para qualquer plano de gestão de ativos, entendendo que existem objetivos e compromissos a serem cumpridos, para os quais a operação de determinada máquina ou equipamento é fundamental.

É importante observar que sua execução ao invés de manutenção preventiva ou preditiva deve ser realizada somente quando for absolutamente necessário, e dependendo de diferentes fatores como a importância dos ativos para as operações diárias, o custo do tempo de inatividade, facilidade de reparo , etc.

Em um sistema eficiente e plano de manutenção de ativos, a manutenção preventiva e preditiva deve prevalecer sobre a manutenção corretiva. Dessa forma, evitamos incerteza e imprevisibilidade, danos caros e longos períodos de inatividade.
Consideremos que os períodos de inatividade afetam diretamente a capacidade produtiva do negócio. Além disso, a manutenção preditiva e / ou preventiva nos ajuda a prolongar a vida útil dos ativos

Com o Fracttal One, software de gerenciamento de manutenção na nuvem, você pode implementar um plano de manutenção que inclui ações preventivas, preditivas e corretivas com base nas características específicas de seus ativos.

É muito fácil de usar e permite, entre outras coisas, enviar ordens de serviço diretamente aos técnicos, acessar relatórios diários e medir variáveis ​​de equipamentos usando sensores IoT. Assim, você poderá otimizar ao máximo a gestão dos ativos do seu negócio, aumentando a produtividade e a rentabilidade das operações.