50 anos de empoderamento feminino no mundo da indústria e da manutenção

Nas últimas cinco décadas, acompanhamos uma profunda transformação na participação e na contribuição das mulheres na indústria e na manutenção. Muitas barreiras foram quebradas, destacando o poder feminino em papéis antes dominados por homens. Desde desafiar estereótipos até liderar equipes e projetos, as mulheres abriram caminho para uma maior igualdade de gênero nesses campos.

Mudança de paradigma: da exclusão para a inclusão

Há 50 anos, as mulheres enfrentavam grandes desafios ao tentar ingressar no mundo industrial e da manutenção, devido a obstáculos culturais e estruturais que limitavam essa participação. Ao longo do tempo, vimos mudanças nesse cenário, ainda em passos curtos.

Nas décadas de 70 e 80, mulheres pioneiras como Margaret Hamilton e Stephanie Kwolek desafiaram as expectativas ao se destacarem em papéis na manutenção industrial. Margaret Hamilton como diretora da divisão de engenharia de software do MIT, liderou o desenvolvimento do software de voo para as missões do programa Apollo da NASA. Já Stephanie Kwolek é conhecida por sua invenção do Kevlar, um material utilizado em coletes à prova de balas e em diversas aplicações industriais. Seus feitos não apenas mostram a capacidade das mulheres de se destacarem em campos técnicos exigentes, mas também inspiraram as futuras gerações.

Oportunidades para inovação: mulheres na vanguarda da tecnologia da manutenção

A educação desempenha um papel fundamental no aumento da participação feminina na manutenção. Os programas acadêmicos inclusivos têm proporcionado as habilidades necessárias para as mulheres se destacarem na indústria. Porém, a maioria das mulheres ainda reconhece a falta de informações sobre essas carreiras, especialmente relacionadas à manutenção. Graças a programas de entidades locais e internacionais como a ONU Mulheres, as mulheres e meninas têm mais apoio para ingressar nessas carreiras, antes consideradas majoritariamente "masculinas".

Segundo o relatório Radiografía de la brecha de género en la formación STEAM, na Espanha, do curso de Engenharia em Tecnologias Industriais, que visa formar profissionais capazes de projetar, construir, manter e gerenciar equipamentos e instalações industriais, houve uma evolução encorajadora. A porcentagem de alunas passou de 7,31% no ano letivo de 1985/1986 para 24,49% em 2019/2020. Embora a diferença ainda seja grande, podemos observar uma tendência positiva em relação à representação feminina no âmbito educacional.

Juntamente com o aumento gradual da representação feminina nessas carreiras profissionais, a chegada de tecnologias na indústria tem sido um fator chave para a igualdade de gênero na manutenção. As soluções tecnológicas nivelaram o campo de atuação, permitindo que as habilidades e os conhecimentos fossem os principais critérios de avaliação.

A automação e o uso da Inteligência Artificial em áreas como a manutenção industrial permitiram a criação de uma nova definição de papeis. Essas tecnologias ajudam a abrir mais portas para as mulheres, que podem aprender e dominar essas competências.

De novas líderes a referências: mulheres em posições de liderança na manutenção

A ascensão de mulheres em cargos de liderança na manutenção industrial mostra um marco importante na luta pela igualdade de gênero. Exemplos atuais de mulheres líderes no campo destacam o progresso em direção à equidade de gênero na indústria. De acordo com o Relatório Global sobre a Lacuna de Gênero de 2023 (Fórum Econômico Mundial) em STEAM, mulheres ocupam 25,5% dos cargos de gerência e 26,7% dos cargos de diretoria. Na Fracttal, contamos com duas mulheres excepcionais, Carolina Escobar e Eddymar Coronel, liderando as equipes de talento e experiência do usuário, respectivamente.

Apesar desses avanços, alguns desafios ainda continuam, como a disparidade salarial e a sub-representação em cargos de liderança. Mas as oportunidades para enfrentar esses problemas e promover a equidade de gênero na indústria e na manutenção estão surgindo. De acordo com um relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), reduzir a diferença de gênero no emprego poderia aumentar o Produto Interno Bruto (PIB) mundial em até 25% até 2030. A implementação de estratégias e ações concretas são fundamentais para avançar em direção a um futuro mais igualitário na indústria e na manutenção. Iniciativas que promovam a educação, a liderança e a igualdade de oportunidades podem desempenhar um papel essencial no empoderamento feminino.

A evolução do papel das mulheres na indústria e na manutenção nos últimos 50 anos foi considerável, marcada por grandes avanços e desafios constantes. Desde superar barreiras até liderar equipes e projetos, as mulheres têm demonstrado o seu valor para o progresso e a inovação nesses setores. Ao olharmos para o futuro, é fundamental continuar promovendo o empoderamento feminino e a equidade de gênero, reconhecendo que uma abordagem inclusiva e diversa é necessária para impulsionar a excelência e a sustentabilidade nesses campos.

arrow_back

50 anos de empoderamento feminino no mundo da indústria e da manutenção

Nas últimas cinco décadas, acompanhamos uma profunda transformação na participação e na contribuição das mulheres na indústria e na manutenção. Muitas barreiras foram quebradas, destacando o poder feminino em papéis antes dominados por homens. Desde desafiar estereótipos até liderar equipes e projetos, as mulheres abriram caminho para uma maior igualdade de gênero nesses campos.

Mudança de paradigma: da exclusão para a inclusão

Há 50 anos, as mulheres enfrentavam grandes desafios ao tentar ingressar no mundo industrial e da manutenção, devido a obstáculos culturais e estruturais que limitavam essa participação. Ao longo do tempo, vimos mudanças nesse cenário, ainda em passos curtos.

Nas décadas de 70 e 80, mulheres pioneiras como Margaret Hamilton e Stephanie Kwolek desafiaram as expectativas ao se destacarem em papéis na manutenção industrial. Margaret Hamilton como diretora da divisão de engenharia de software do MIT, liderou o desenvolvimento do software de voo para as missões do programa Apollo da NASA. Já Stephanie Kwolek é conhecida por sua invenção do Kevlar, um material utilizado em coletes à prova de balas e em diversas aplicações industriais. Seus feitos não apenas mostram a capacidade das mulheres de se destacarem em campos técnicos exigentes, mas também inspiraram as futuras gerações.

Oportunidades para inovação: mulheres na vanguarda da tecnologia da manutenção

A educação desempenha um papel fundamental no aumento da participação feminina na manutenção. Os programas acadêmicos inclusivos têm proporcionado as habilidades necessárias para as mulheres se destacarem na indústria. Porém, a maioria das mulheres ainda reconhece a falta de informações sobre essas carreiras, especialmente relacionadas à manutenção. Graças a programas de entidades locais e internacionais como a ONU Mulheres, as mulheres e meninas têm mais apoio para ingressar nessas carreiras, antes consideradas majoritariamente "masculinas".

Segundo o relatório Radiografía de la brecha de género en la formación STEAM, na Espanha, do curso de Engenharia em Tecnologias Industriais, que visa formar profissionais capazes de projetar, construir, manter e gerenciar equipamentos e instalações industriais, houve uma evolução encorajadora. A porcentagem de alunas passou de 7,31% no ano letivo de 1985/1986 para 24,49% em 2019/2020. Embora a diferença ainda seja grande, podemos observar uma tendência positiva em relação à representação feminina no âmbito educacional.

Juntamente com o aumento gradual da representação feminina nessas carreiras profissionais, a chegada de tecnologias na indústria tem sido um fator chave para a igualdade de gênero na manutenção. As soluções tecnológicas nivelaram o campo de atuação, permitindo que as habilidades e os conhecimentos fossem os principais critérios de avaliação.

A automação e o uso da Inteligência Artificial em áreas como a manutenção industrial permitiram a criação de uma nova definição de papeis. Essas tecnologias ajudam a abrir mais portas para as mulheres, que podem aprender e dominar essas competências.

De novas líderes a referências: mulheres em posições de liderança na manutenção

A ascensão de mulheres em cargos de liderança na manutenção industrial mostra um marco importante na luta pela igualdade de gênero. Exemplos atuais de mulheres líderes no campo destacam o progresso em direção à equidade de gênero na indústria. De acordo com o Relatório Global sobre a Lacuna de Gênero de 2023 (Fórum Econômico Mundial) em STEAM, mulheres ocupam 25,5% dos cargos de gerência e 26,7% dos cargos de diretoria. Na Fracttal, contamos com duas mulheres excepcionais, Carolina Escobar e Eddymar Coronel, liderando as equipes de talento e experiência do usuário, respectivamente.

Apesar desses avanços, alguns desafios ainda continuam, como a disparidade salarial e a sub-representação em cargos de liderança. Mas as oportunidades para enfrentar esses problemas e promover a equidade de gênero na indústria e na manutenção estão surgindo. De acordo com um relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), reduzir a diferença de gênero no emprego poderia aumentar o Produto Interno Bruto (PIB) mundial em até 25% até 2030. A implementação de estratégias e ações concretas são fundamentais para avançar em direção a um futuro mais igualitário na indústria e na manutenção. Iniciativas que promovam a educação, a liderança e a igualdade de oportunidades podem desempenhar um papel essencial no empoderamento feminino.

A evolução do papel das mulheres na indústria e na manutenção nos últimos 50 anos foi considerável, marcada por grandes avanços e desafios constantes. Desde superar barreiras até liderar equipes e projetos, as mulheres têm demonstrado o seu valor para o progresso e a inovação nesses setores. Ao olharmos para o futuro, é fundamental continuar promovendo o empoderamento feminino e a equidade de gênero, reconhecendo que uma abordagem inclusiva e diversa é necessária para impulsionar a excelência e a sustentabilidade nesses campos.